terça-feira, 14 de agosto de 2018

Brasil Campeão da Copa do Mundo 2002

A última conquista do Brasil em Copas do Mundo foi na primeira competição do século 21, em 2002. Mesmo após as turbulências que afetaram o time nas Eliminatórias, a seleção comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari brilhou na Coreia do Sul e no Japão debaixo das lideranças técnicas de Ronaldo, Rivaldo, Ronaldinho e Roberto Carlos.
A trajetória brasileira começou em solo sul-coreano, com uma difícil vitória por 2 a 1 sobre a Turquia. Os resultados da sequência foram mais tranquilos, 4 a 0 sobre a China e 5 a 2 sobre a Costa Rica. Eles renderam a liderança do grupo C ao Brasil, com nove pontos. O caldo engrossou mesmo no mata-mata. Contra a Bélgica nas oitavas de final, o jogo mais duro que o time canarinho teve. Mas um golaço de voleio de Rivaldo tranquilizou a situação e a vitória por 2 a 0 manteve o sonho. Nas quartas, a pedreira foi contra a Inglaterra e o golaço da vez foi de Ronaldinho Gaúcho, que bateu uma falta lateral direto no gol. De virada, o Brasil venceu por 2 a 1 e seguiu. Na semifinal, foi a vez de reencontrar a Turquia. Não teve golaço, apenas o oportunismo de Ronaldo para garantir a vitória por 1 a 0 e a vaga na final.
O mata-mata brasileiro foi todo jogado em solo japonês, e a decisão contra a Alemanha foi no Estádio Internacional de Yokohama. Era a primeira vez que os dois países se enfrentavam em mundiais, e a partida correu com chances dos dois lados. Até que Ronaldo Fenômeno apareceu para decidir na etapa final. Primeiro, pegou o rebote do goleiro Kahn, depois, se aproveitou do corta-luz de Rivaldo para marcar os dois gols do jogo e se consagrar na artilharia. Por 2 a 0, o Brasil despachou os alemães e venceu pela quinta vez a Copa do Mundo. E coube ao "100% Jardim Irene" Cafu a honra de ser o capitão do penta, o quinto guardião da taça.


Foto Paulo Pinto/Agência Estadão

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Itália Campeã da Copa do Mundo 2006

Uma seleção baseada no seu coletivo, ninguém levava o time nas costas e todos corriam por todos. Assim era a Itália campeã da Copa do Mundo de 2006, disputada na Alemanha. O tetra veio em um momento de alívio após os escândalos de compra de resultados no país um ano antes, que cassou dois títulos nacionais da Juventus e a rebaixou para a segunda divisão. Daquele clube, Buffon, Zambrotta Cannavaro e Camoranesi estavam entre os titulares da Azzurra.
A campanha italiana começou com o pé direito, vitória por 2 a 0 sobre Gana. Depois, empate em 1 a 1 com os Estados Unidos e vitória por 2 a 0 sobre a República Tcheca classificaram a Itália em primeiro no grupo E, com sete pontos. Nas oitavas de final, uma sofrida vitória de 1 a 0 sobre a Austrália - com gol de pênalti de Totti no último lance do jogo -, embalou os italianos rumo ao título. Nas quartas foram 3 a 0 contra a estreante Ucrânia. A semifinal reuniu o grande clássico europeu entre Itália e Alemanha. E na casa do rival, a Azzurra fez a festa na prorrogação ao vencer por 2 a 0, se garantindo assim na final.
A decisão foi contra a França, no Estádio Olímpico de Berlim. A Itália saiu perdendo com um gol de pênalti de Zidane, mas empatou ainda no primeiro tempo com o zagueiro Materazzi. O 1 a 1 seguiu no placar até o fim da prorrogação, que se tornou mais lembrada pelo episódio da cabeçada de Zidane em Materazzi, que gerou uma expulsão e a melancólica despedida do francês no futebol. Na disputa por pênaltis, os italianos foram 100% eficientes e venceram por 5 a 3. Coube ao lateral-direito Grosso converter a cobrança do título. Assim, as penalidades que adiaram a conquista 12 anos antes, agora dariam o tetracampeonato mundial à Itália. A honra de erguer a Copa coube ao capitão Cannavaro.


Foto Odd Andersen/Getty Images

sábado, 4 de agosto de 2018

Ferroviário Campeão Brasileiro Série D 2018

A Série D do Brasileiro já está encerrada, em agosto. O Ferroviário se torna o primeiro time da capital cearense a ter um título nacional em seu currículo. O tabu de 23 anos sem taças foi quebrado com uma campanha de excelentes resultados como mandante. Na primeira fase foi líder de um grupo com Cordino (MA), 4 de Julho (PI) e Interporto (TO). Na segunda fase, já em mata-mata, voltou a enfrentar o Cordino e se classificou com empate de 3 a 3 no Maranhão e vitória de 1 a 0 no Ceará. Nas oitavas o adversário foi o Altos, o qual eliminou com 1 a 1 no Castelão e 4 a 2 no Piauí. Nas quartas o Ferrão fez o confronto mais difícil, contra o Campinense. Venceu por 3 a 2 em Fortaleza e perdeu por 1 a 0 em Campina Grande, e nos pênaltis venceu por 5 a 4 e conquistou o sonhado acesso. Na semifinal o Tubarão enfrentou o São José-RS, com vitória de 3 a 1 no Castelão e derrota de 2 a 1 em Porto Alegre. A final foi contra o Treze, mais uma vez fazendo a ida em casa. Venceu por 3 a 0 no Castelão e depois segurou a vantagem no Amigão, onde perdeu por apenas 1 a 0, o que não diminuiu a festa do torcedor tricolor.


Foto Lucas Figueiredo/CBF

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Espanha Campeã da Copa do Mundo 2010

A única vez que o continente africano sediou uma Copa do Mundo foi em 2010. A África do Sul teve a incumbência de realizar a maior competição do futebol naquele ano. E foi debaixo do terrível som das vuvuzelas que a Espanha enfim concluiu seu sonho de ser campeã e chegar ao topo. O famoso toque de bola do time de Iniesta, Xavi, Villa, Puyol e Sergio Ramos rendeu seu maior fruto.
Mas antes de tudo, os espanhóis levaram um susto na primeira rodada, quando estrearam com derrota de 1 a 0 para a Suíça. A recuperação na fase de grupos veio a tempo com as vitórias de 2 a 0 sobre Honduras e 2 a 1 sobre o Chile, que ainda deram a liderança do grupo H para a Espanha, com seis pontos. Nas oitavas de final a Fúria fez o clássico ibérico contra Portugal, o qual venceu por 1 a 0. Nas quartas foi a vez de encarar o surpreendente Paraguai, em outra partida igualmente complicada e vencida por 1 a 0. A Alemanha foi a adversária da semifinal, e outra vitória pelo placar de 1 a 0 colocou os espanhóis na histórica final.
No Soccer City em Johanesburgo, a Espanha enfrentou a Holanda em confronto de onde sairia um campeão inédito. Depois de empate sem gols e muitos cartões amarelos no tempo normal, a decisão foi para a prorrogação. E faltando cinco minutos para o fim, Iniesta acertou chute cruzado no gol holandês. A quarta vitória seguida por 1 a 0 deu o título merecido para a seleção espanhola, liderada pelo capitão Casillas.


Foto Kai Pfaffenbach/Reuters

domingo, 29 de julho de 2018

Alemanha Campeã da Copa do Mundo 2014

A Alemanha conquistou o tetra mundial em grande estilo em 2014, na Copa do Mundo realizada disputada no Brasil. Com a marca de Thomas Müller, Lahm, Özil, Khedira, Klose e Neuer, o time comandado por Joachim Löw coroou um trabalho de oito anos.
Na primeira fase, os alemães já começaram com um arraso de 4 a 0 contra Portugal. Depois, empate por 2 a 2 com Gana e uma vitória de 1 a 0 sobre o Estados Unidos deram à Alemanha a liderança do grupo G, com sete pontos. O jogo mais duro aconteceu nas oitavas de final, contra a Argélia, no qual os alemães só venceram na prorrogação por 2 a 1. Nas quartas de final venceu a França por 1 a 0. E na semifinal... Contra um Brasil confuso, o primeiro gol saiu cedo e os outros vieram com uma assustadora e constrangedora facilidade. O histórico 7 a 1 classificou a Alemanha para a final no Rio de Janeiro.
No Maracanã, os alemães enfrentaram a Argentina, naquele confronto que se tornaria o mais frequente em finais. Após 90 minutos zerados, a partida foi para a prorrogação, e o herói do título veio do banco de reservas. Mario Götze completou jogada pelo lado esquerdo do ataque e fez o gol da vitória por 1 a 0. Depois de 24 anos a Copa do Mundo voltava para a Alemanha, pelas mãos do capitão Lahm. A seleção alemã se tornou a primeira da Europa a vencer o Mundial nas Américas.


Foto Martin Meissner/Press Trust of India