quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Guarani Campeão Brasileiro Série B 1981

A Taça de Prata manteve parte de seu formato para 1981. Houve uma diminuição de 64 para 48 equipes, divididos em seis grupos de oito times cada, jogando em turno único. Em em meio a esses participantes, três de destacavam: o Coritiba, semifinalista da Série A de 1980, o Palmeiras, seis vezes campeão nacional até então, e o Guarani, campeão em 1978, contando com Careca e Jorge Mendonça. Eles fizeram campanha ruim nos estaduais do ano anterior, e tiveram que disputar a segunda divisão.
O Bugre ficou no grupo 4, ao lado dos paranaenses, e fizeram a lógica acontecer na primeira fase. O time de Campinas se classificou na liderança do grupo, com 11 pontos, cinco vitórias, um empate e uma derrota. Eram duas vagas por grupo, e o time paranaense ficou com a outra. Na segunda fase, os 12 classificados ficaram em quatro grupos. Os líderes ficariam com a vaga na fase final da Taça de Ouro (a primeira divisão) do mesmo ano, enquanto os vices seguiriam para a semifinal. O Guarani ficou no grupo 3, ao lado do Palmeiras e do Americano do Rio de Janeiro. Em quatro jogos, foram duas vitórias e duas derrotas, totalizando quatro pontos. A pontuação foi insuficiente para ultrapassar o Palmeiras, que marcou cinco pontos e subiu imediatamente. Mas o Bugre ficou na vice-liderança, e permaneceu com chance de título da Taça de Prata. Na semifinal, o adversário alviverde foi o Comercial do Mato Grosso do Sul. No Morenão, em Campo Grande, o Bugre venceu a ida por 2 a 1, e no Brinco de Ouro a vitória foi por 3 a 0. O acesso para a elite de 1982 já estava garantido, mas ainda havia a final.
O adversário foi a Anapolina, de Goiás. O primeiro jogo foi em Anápolis, e o Guarani encaminhou o título ao vencer por 4 a 2, dois gols marcados por Careca. O segundo jogo foi em Campinas, no Brinco de Ouro, e o empate em 1 a 1 confirmou o título da segunda divisão do Brasileirão para o time bugrino, a última conquista nacional do clube desde então.


Foto Manoel Motta/Placar